Projeto Iguaçu entrega conjunto de obras com estação de bombeamento

Quando: 2ª feira (27/12), às 10h
Onde: Avenida Presidente Kennedy, s/nº, próximo à ponte sobre o Rio Iguaçu, bairro Lote XV, em Belford Roxo, na divisa com Duque de Caxias.

Os moradores dos bairros Lote XV, Parque Amorim e Vale do Ipê, em Belford Roxo, e Pilar, em Duque de Caxias, terão mais um ingrediente para comemorar as festas de fim de ano. Eles serão beneficiados com um conjunto de obra, entre as quais uma estação de bombeamento, que o Governo do Estado entrega nesta segunda-feira (27/12), às 10h. As intervenções fazem parte do projeto PAC Iguaçu e tem como objetivo reduzir significativamente as enchentes que castigam a Baixada Fluminense.

As obras serão inauguradas pelo governador Sérgio Cabral, a secretária estadual do Ambiente, Marilene Ramos, o prefeito de Belford Roxo, Alcides Rolim, e o presidente do Inea (Instituto Estadual do Ambiente), Luiz Firmino. As ações fazem parte do Projeto Iguaçu, de controle de inundações e recuperação ambiental das bacias dos Rios Botas, Sarapuí e Iguaçu. Todo o projeto beneficia mais de 2 milhões de pessoas.

Somente para a Estação de Bombeamento, o Governo do Estado investiu R$ 5 milhões, recursos do Fundo Estadual de Conservação Ambiental (Fecam). O vice-governador Luiz Fernando Pezão participa do evento.

A nova estação, que contará com cinco bombas importadas da Suécia, terá a função de retirar o excesso de água da área-pulmão do Canal do Outeiro, extravasando para o Rio Iguaçu, de modo a aumentar a velocidade de escoamento das águas.

“O Polder do Outeiro consiste numa bacia de acumulação com um milhão de metros quadrados, cinco estruturas de comportas e a estação de bombeamento com capacidade de bombear 7.200 litros de água por segundo. A estação é mais uma obra para reduzir as enchentes na região, uma das mais castigada no último verão”, explicou a secretária Marilene Ramos.

Além da estação de bombeamento, serão entregues as obras emergenciais do PAC do Projeto Iguaçu entre elas, três pontes no canal do Outeiro; a dragagem de 10 quilômetros do Rio Iguaçu e as obras de recuperação do polder do Pilar, que praticamente submergiu com as chuvas do verão passado.

A Estação de bombeamento que é automatizada, possui uma usina geradora com três geradores a diesel e uma subestação elétrica com dois transformadores. Os equipamentos garantem o funcionamento do sistema em caso de falta de energia. A Estação foi instalada na margem do Rio Iguaçu, no Lote XV. Uma das razões para o Governo do Estado importar as cinco bombas da Suécia, para compor a estação, foi a capacidade dos equipamentos fazer a sucção mesmo em locais com elevada presença de lixo e detritos.

O Projeto Iguaçu também desenvolve obras de dragagem dos rios Iguaçu, Sarapuí e Botas e seus afluentes, reassentamento de milhares de famílias ribeirinhas, com a construção de conjuntos habitações, além da recuperação de polderes – conjunto de comportas e diques.

O projeto Iguaçu abrange os municípios de Duque de Caxias, São João de Meriti, Belford Roxo, Nilópolis, Mesquita, Nova Iguaçu e os bairros de Bangu e Senador Camará, na Zona Oeste do Rio de Janeiro. Envolve intervenções para melhoria da macro e mesodrenagem das bacias dos três rios, com a recuperação das áreas marginais e instalação de parques de orla, plantio de vegetação ciliar, reflorestamento de áreas de nascentes, preservação de áreas para amortecimento de cheias (áreas-pulmão), renaturalização de cursos d’água, desobstrução e substituição de pontes e travessias, realocação de moradias, além de outras medidas complementares relacionadas ao disciplinamento do uso do solo, coleta de lixo e etc.

Segundo o Plano Diretor Iguaçu, o controle de inundações na Baixada Fluminense demanda investimentos da ordem de R$ 1 bilhão em valores atuais. Dentro dos limites de recursos disponibilizados no âmbito do PAC I, foi concebida a primeira fase do Projeto Iguaçu, com investimentos de cerca de R$ 482 milhões (R$ 230 milhões da União e R$ 252 milhões do Governo do Estado do Rio de Janeiro). Para o PAC 2 – de continuação do Projeto Iguaçu, já estão assegurados R$ 384 milhões, do Ministério das Cidades.

NÚMEROS DO PROJETO IGUAÇU

Ø R$ 482 milhões em investimentos na primeira fase – PAC 1

Ø R$ 384 milhões já aprovados para a segunda fase – PAC 2

Ø 60 km de rios desassoreados

Ø 3,8 milhões de metros cúbicos de lama e lixo e 25 mil pneus retirados dos leitos dos rios

Ø 10 km de ruas, ciclovias e calçadas construídas e pavimentadas

Ø 800 hectares de áreas de nascentes em reflorestamento

Ø 3.000 mil moradias em construção para reassentar famílias que moram nas margens dos rios e em áreas de risco de inundações

Créditos à SEA

0 comentários:

below feature ads

Conferência e eventos