Estado lança projeto do novo campus da Uezo

O secretário de Ciência e Tecnologia, Alexandre Cardoso, lança, na manhã desta quarta-feira (23/03), o projeto arquitetônico do campus do Centro Universitário Estadual da Zona Oeste (Uezo). O evento acontece no auditório da Gerdau, na Avenida João XXIII, nº 6.777, no Distrito Industrial de Santa Cruz.

Segundo o reitor da Uezo, Roberto Soares de Moura, interessados em ingressar na universidade já podem se inscrever para o vestibular de 2012, cujas provas serão realizadas no fim do ano. O edital está disponível no site da instituição: www.uezo.rj.gov.br

A unidade oferece as graduações tecnológicas (com duração de três anos) em Tecnologia em Biotecnologia, Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas, Tecnologia em Produção de Fármacos, Tecnologia em Processos Metalúrgicos, Tecnologia em Polímeros e Tecnologia em Construção Naval. Também são oferecidos os bacharelados em Ciências Biológicas (modalidade Produção Químico–Biológica), Ciência da Computação, Farmácia e Engenharia de Produção.

De acordo com o reitor, já foram feitas sete reclassificações de candidatos que prestaram o concurso no ano passado e uma oitava e última reclassificação será divulgada nos próximos dias.

Assim que a primeira fase do campus estiver pronta, quatro novos cursos serão oferecidos: Tecnologia em Meio Ambiente, Tecnologia em Alimentos, Tecnologia em Nanotecnologia e Tecnologia em Recuperação de Equipamentos.

Estado lança hoje projeto da Nova Uezo

O secretário de Ciência e Tecnologia, Alexandre Cardoso, apresenta o projeto arquitetônico do campus do Centro Universitário Estadual da Zona Oeste (Uezo) nesta quarta-feira (23/03). Este é o primeiro passo para o início das obras. A Faperj já liberou R$ 1,06 milhão para o licenciamento do empreendimento no Tribunal de Contas do Estado, o que será feito pela Empresa de Obras Públicas (Emop). A previsão é de que até o segundo semestre de 2013 a primeira fase das obras esteja concluída.

O lançamento acontece às 10h, no auditório da Gerdau, na Avenida João XXIII, nº 6.777, no Distrito Industrial de Santa Cruz, com a participação do reitor da Uezo, Roberto Soares de Moura.

O projeto do campus da Uezo é do arquiteto Paulo Casé. O terreno, que foi doado pela Codin, tem 132 mil m² e fica na Avenida Brasil, nº 45.825, no Distrito Industrial de Campo Grande. Na primeira fase, serão construídos 16 mil m² de salas e laboratórios, além da urbanização do terreno, com um investimento de R$ 40 milhões. Não está incluída, nesta etapa, a construção de alojamentos e laboratórios para cursos ainda não previstos. Ao todo, o projeto prevê 80 mil m² de obras, sendo 26 mil m² de prédios e o restante de urbanização do terreno.

Novos cursos e vagas

A importância do campus para a Uezo pode ser medida pela quantidade de vagas que a universidade poderá oferecer. Em 2007, a Uezo tinha 372 alunos matriculados. Ao fim de 2011, a universidade terá oferecido 1.670 vagas. Só com a primeira fase do campus, poderão ser oferecidas até seis mil vagas.

Além disso, quatro novos cursos deverão ser oferecidos pela Uezo quando a primeira fase do campus estiver pronta: Tecnologia em Meio Ambiente, Tecnologia em Alimentos, Tecnologia em Nanotecnologia e Tecnologia em Recuperação de Equipamentos.

– A educação tem de se integrar ao momento que o país vive. Os cursos da Uezo podem ser aproveitados por empresas para formar profissionais especializados. Nós vamos preparar o campus para atender às demandas do Estado, para que a Uezo possa interagir e dar suporte para as indústrias da região e de todo o Rio de Janeiro – diz o secretário estadual de Ciência e Tecnologia, Alexandre Cardoso.

De acordo com o arquiteto Paulo Casé, todo o trabalho foi desenvolvido com a participação dos professores.

– O resultado é um consenso do conhecimento passado pelos professores sobre como promover melhor o convívio em um campus universitário – explicou Casé.

Sobre a Uezo

A Uezo funciona, atualmente, em parte do prédio do Instituto de Educação Sarah Kubitschek, em Campo Grande. A instituição oferece os cursos de Tecnologia em Biotecnologia, Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas, Tecnologia em Produção de Fármacos, Tecnologia em Processos Metalúrgicos, Tecnologia em Polímeros e Tecnologia em Construção Naval. A duração dos cursos de graduação tecnológica é de três anos,

A Uezo também oferece os cursos plenos, com formação de bacharel e duração de quatro anos, em Ciências Biológicas (modalidade Produção Químico–Biológica), Ciência da Computação, Farmácia e Engenharia de Produção.

Confira o Projeto abaixo:




Créditos à Secretaria de Ciência e Tecnologia e a Guedes de Freitas

0 comentários:

below feature ads

Conferência e eventos