SEC lança Inventário da Arte Sacra Fluminense e Banco de Bens Culturais Procurados

Créditos à SEC-RJ

A Secretaria de Estado de Cultura, através do Instituto Estadual do Patrimônio Cultural (Inepac), em parceria com o Centro de Tecnologia da Informação e Comunicação do Estado do Rio de Janeiro (Proderj), lançou nesta segunda-feira(13/09) o portal online do Inventário da Arte Sacra Fluminense e do Banco de Bens Culturais Procurados (BCP) (www.artesacrafluminense.rj.gov.br ), o primeiro do país, durante a cerimônia de abertura do I Seminário Internacional de Arte Sacra da Faculdade de São Bento, no Mosteiro de São Bento, no centro do Rio.

A iniciativa visa implantar uma gestão eficaz para proteger o patrimônio histórico e artístico do estado do Rio de Janeiro, utilizando as ferramentas mais modernas da internet para disponibilizar online registros da memória da Arte Sacra Fluminense. Numa fase posterior, esse conteúdo também será lançado em livro.

Serão catalogadas para esse trabalho quase 20 mil peças expostas em igrejas e em coleções particulares. O portal terá imagens de obras raras e será um instrumento para auxiliar na recuperação de peças furtadas. Desde 2008 equipes do Inepac vem visitando igrejas históricas do Estado, com o apoio de religiosos, numa pesquisa minuciosa para realizar essa documentação.

O portal reúne os acervos de Arte Sacra Fluminense e do Banco de Bens Culturais Procurados (BCP). O primeiro apresenta as especificações técnicas e iconográficas dos bens inventariados de algumas regiões já pesquisadas do estado do Rio de Janeiro. Já o BCP traz os objetos tombados pelo Patrimônio Histórico e aqueles que desapareceram e foram roubados.

A subsecretária de Relações Institucionais da Secretaria de Estado de Cultura, Olga Campista, representando a Secretária Adriana Rattes, destacou a importância do Portal e do Banco para a preservação do patrimônio cultural do nosso estado:

- O Banco de Bens Culturais Procurados representa um trabalho muito importante e fundamental para mantermos o nosso acervo resguardado e para que as pessoas saibam que existe um canal para buscar e se informar sobre o que se perdeu. O nosso inventário de Arte Sacra vem sendo realizado há mais de um ano pelo Inepac e, com o apoio do Proderj, será possível conhecer e divulgar, através de uma tecnologia moderna, o que o nosso estado possui de bens culturais – declarou ela.

No portal é possível pesquisar centenas de objetos, como fotos em ângulos distintos e informações como a origem, autoria, técnica utilizada para a feitura, século de sua produção, entre outros dados. A busca pode ser feita através de uma palavra-chave, pela seleção do município, pelo tipo de objeto e sua época, sendo possível imprimir todas as informações obtidas.

No acervo do BCP o interessado poderá verificar o desaparecimento e resgate de peças, filtrando a pesquisa por meio da seleção do tipo de objeto e de sua época, entre outras informações. O usuário poderá também denunciar o autor de um roubo ou o abandono de uma peça. A intenção é estimular a participação da população para agilizar a recuperação de obras com valor inestimável para o patrimônio histórico.

Para a diretora do Inepac, Maria Regina Mattos, o inventário e o banco representam medidas de proteção e informação do patrimônio cultural do nosso estado.

- Este inventário de Arte Sacra é um acervo cultural do estado do Rio. Foi iniciado pelo interior do estado, nas regiões Norte Noroeste e nas Baixadas Litorâneas, e deverá continuar nas demais áreas do nosso estado. Já inventariamos cerca de três mil peças, entre Arte Sacra, imagens, além de bens integrados, como, por exemplo, pias batismais, e retábulos (altares das igrejas). O inventário é uma medida de proteção do nosso patrimônio cultural, pois só é possível proteger o que se conhece. O portal conta, inicialmente, com 1.500 fichas de obras sacras e o Banco de Bens Culturais Procurados tem cerca de 100 bens – informou Maria Regina.

De acordo ainda com a diretora do Inepac, em outubro próximo serão lançados, em parceria com o Sesc-RJ, dois catálogos com o resultado da primeira fase do inventário.

Já Alexandre Gitahy, vice-presidente do Proderj, comemorou a parceira com a Secretaria de Cultura:

- Esse trabalho vai trazer informação, transparência e motivar a participação da população para o cadastro de novas obras e a denúncia de bens furtados, a partir do importante trabalho desenvolvido pelo Inepac – frisou.

A solenidade contou também com a apresentação do “Ofício de Completas” (oração dos monges beneditinos) e a realização do concerto “Música nas Igrejas”, com o Trio Cristina Braga.

Participaram, ainda, do evento o cônsul geral de Portugal no Rio, Antonio Almeida Lima; Marcos Sanches, diretor do Museu do Primeiro Reinado; Rafael Azevedo Gomes, museólogo e coordenador geral do projeto pelo Inepac; e D.Mauro Fragoso, historiador da arte e religioso do Mosteiro de São Bento, entre outros.

0 comentários:

below feature ads

Conferência e eventos