Santander quer dobrar base de clientes no Rio em cinco anos. Banco pretende inaugurar mais de 100 agências no Estado, inclusive em comunidades carentes

O Santander pretende dobrar a base de clientes entre pessoas jurídicas, pequenas e médias empresas e pessoas físicas no Rio de Janeiro dentro de cinco anos, e inaugurar mais de 100 agências no Estado, inclusive em comunidades carentes.

O objetivo é acompanhar o crescimento econômico da região, que deve ser "espetacular", acredita o presidente do banco no Brasil, Marcial Portela. A expectativa é de que sejam investidos cerca de R$ 300 milhões no Estado nos próximos três ou quatro anos, mas o volume poderá ser modificado se o banco conseguir encontrar um lugar para construir sua nova sede, além de uma central de call center.

Os projetos fazem parte do "Planejamento Estratégico para o Estado: Rio 100 em 5". Portela lembrou que o Produto Interno Bruto (PIB) do Rio é maior do que o de países inteiros, como o Chile, que é a quarta maior economia da América Latina.

"O Santander tem boa base para crescer no Rio. Temos cerca de 6 mil funcionários e passaremos a ter 8 mil. São 447 agências e postos de atendimento bancário dentro de empresas clientes, além de 340 pontos de atendimento eletrônico", disse Portela.

A estratégia para dobrar de tamanho no Estado vai estar focada diretamente em pequenas e médias empresas. Hoje, o Rio representa cerca de 9% a 10% dos negócios de varejo do Santander. O banco quer ser um grande fornecedor de crédito para o setor de infraestrutura.

"Queremos aproveitar todo esse conjunto em torno da exploração do pré-sal, construção naval, setores de tecnologia, e de construção de plataformas", disse Portela.

Créditos ao Valor Online

0 comentários:

below feature ads

Conferência e eventos