Rio de Janeiro cria delegacia especializada em atos racistas

O Rio de Janeiro criará uma delegacia especializada em investigação de atos violentos e discriminatórios por racismo, informaram em comunicado fontes oficiais.

A criação da delegacia antirracismo foi aprovada nesta terça-feira pela Assembleia Legislativa do Rio, que recuperou um projeto de lei de 2008 que tinha sido vetado pelo governador Sérgio Cabral.
A nova delegacia estará dedicada a registrar, investigar e adotar todos os procedimentos policiais aplicáveis nos casos de racismo nos quais ocorra violência ou discriminação da vítima, informou o órgão legislativo em comunicado.

Também oferecerá aos cidadãos um telefone gratuito para receber denúncias de agressões ou atos discriminatórios pela cor da pele.

"O Rio de Janeiro, apesar de ser tão liberal, é o estado que mais registra casos de discriminação e preconceito racial, religioso e por condição socioeconômica ou procedência nacional", afirmou o deputado Átila Nunes, autor da proposta, citado na nota.

Segundo o deputado, denúncias de racismo são registradas a cada 15 dias nas delegacias do Rio de Janeiro.

Apesar de a metade da população do país se declarar negra ou mulata, esta comunidade continua sofrendo discriminação e registra as piores taxas de pobreza, educação e desemprego.

O Governo brasileiro conta desde 2003 com uma Secretaria de Igualdade Racial com status de Ministério, que se encarrega da elaboração de políticas para a equiparação de direitos da população negra.

Créditos à EFE

0 comentários:

below feature ads

Conferência e eventos