Galeão será o aeroporto mais preparado para Copa do Mundo, aponta estudo

Aeroporto Internacional Tom Jobim (Galeão)

O aeroporto internacional do Rio de Janeiro, o Galeão-Antonio Carlos Jobim, será o mais bem preparado para receber os turistas interessados em assistir os jogos da Copa do Mundo em 2014, aponta um estudo coordenado pelo professor Elton Fernandes, do Programa de Engenharia de Produção da Coppe (Coordenação dos Programas de Pós-Graduação em Engenharia). Entretanto, o aeroporto é atualmente o mais deficiente para a Anac (Agência Nacional de Aviação Civil). O Galeão é o que mais precisará de mudanças para cumprir o sistema de metas definido para que os aeroportos do país se tornem mais eficientes até 2013.

O estudo de Fernandes é baseado em padrões internacionais, que pedem um mínimo de 23 m² por passageiro doméstico no horário de pico e mais 14 m² para os passageiros internacionais. Apesar de ser um dos campeões de crescimento, o número de passageiros deverá aumentar em 73%, o terminal do Galeão é do ponto de vista da área disponível, o único que terá espaço mais do que suficiente para suportar a demanda prevista. O aeroporto terá uma folga de 106 mil m² em 2014.

De acordo com o estudo, o terminal tem hoje disponíveis 180 mil m². Em 2014, após a obra de expansão, serão 280 mil m². Fernandes explica que, após a ampliação, os pátios, que hoje podem receber 35 aeronaves, provavelmente terão condições de abrigar mais do que as 47 previstas no estudo. A conta inclui os aviões Airbus A380, que poderão passarão a pousar no aeroporto após o alargamento da pista, incluído nas obras de ampliação. Os aeroportos de Brasília, Fortaleza e Manaus também conseguirão atender à demanda calculada no estudo da Coppe, mas com menos folga que o Galeão.

Brasil
O estudo avaliou ainda a situação de 16 aeroportos, instalados nas 12 cidades, até 2016 e concluiu que a maior parte dos terminais já está com sua capacidade esgotada e que as obras de ampliação previstas pela Infraero não mudarão esse quadro. As exceções são os aeroportos do Galeão e de Brasília, Fortaleza e Manaus.

O professor Fernandes prevê que, nos 16 aeroportos, o número anual de passageiros salte dos 127,72 milhões registrados em 2010 para 187,48 milhões em 2014. Esse acréscimo de quase 60 milhões – mais do que o dobro do movimento total atual dos aeroportos da Argentina, por exemplo – é bem superior ao número levado em conta no planejamento das obras de expansão dos terminais.

Créditos ao R7

0 comentários:

below feature ads

Conferência e eventos