Cabral em Nova York: O meu país é o Rio de Janeiro

]
Centro do Rio de Janeiro

O governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, disse nesta sexta-feira (17/12) em palestra para investidores estrangeiros, em Nova York, que o Rio tem mais de US$ 90 bilhões em investimentos públicos e privados “mapeados e contratados para os próximos quatro anos”. Ele falou para mais de 200 pessoas que lotaram o tradicional Harvard Club, em palestra organizada pela Associação das Nações Unidas, pelo Fórum das Américas e pela Brasilinvest.

– Trata-se de uma das maiores carteiras de novos investimentos em comparação a qualquer estado, província ou região do mundo – afirmou Cabral.

Após destacar minuciosamente o mapa de investimentos no estado e as suas potencialidades, o governador foi perguntado pela imprensa se o clima positivo do Rio lhe favorecia uma candidatura à Presidência do Brasil. Cabral respondeu:

– Acho tão bom poder daqui a quatro anos encerrar um ciclo de oito anos como governador, deixando o Rio num outro patamar que, para mim, o meu país é o Rio de Janeiro. Eu amo o Rio. O Rio é um país: tem 16 milhões de habitantes, oito milhões de visitantes. Eu amo o Brasil e o Rio é a síntese do Brasil. Então, já estou governando o Brasil – declarou o governador, sorrindo aos jornalistas.

Cabral ainda acrescentou:

– Aqui em Nova York mais de 200 investidores de uma lista que era limitada a 150 vieram para esta palestra. Isso não é o Sérgio Cabral. É o Rio de Janeiro. A marca Rio é muito forte. Ela estava adormecida, maltratada, prejudicada. Mas ela é tão forte que nesses quatro anos a gente conseguiu ganhar os Jogos Olímpicos, o investment grade. É só fazer o dever de casa.

Ao reforçar à imprensa os vultosos investimentos previstos para o Rio de Janeiro – remetendo ao conteúdo de sua palestra –, o governador disse que um problema, já para a Copa do Mundo de 2014, são os aeroportos. Ele destacou, contudo, que ainda há tempo de resolver a situação.

– Um problema nosso, em que estamos engasgando ainda no Brasil, particularmente no Rio por conta do nosso calendário, é o Aeroporto Internacional. É um problema já para a Copa do Mundo – afirmou Cabral.

Perguntado sobre se ações já poderiam ser tomadas, o governador declarou:

– Eu não entendo por que não concessionar aeroporto. A presidente Dilma (presidente eleita) me garante que vai fazer os investimentos necessários. Eu acredito nela. A questão é que, se concessionar, resolve rápido. Se mantiver no ritmo Infraero, vai ser um desastre.

Aos empresários e investidores, Cabral apresentou o que chamou de “mais importante calendário de grandes eventos desta década”.

– No ano que vem, o Rio sediará os Jogos Mundiais Militares, com mais participantes do que os Jogos Pan-Americanos de 2007. Em 2012, a comunidade internacional volta a se reunir no Rio para debater meio ambiente e desenvolvimento. Em 2013, seremos sede da Copa das Confederações. Em 2014, também receberemos a Copa do Mundo. Em 2015, vamos comemorar durante todo o ano o aniversário de 450 anos da nossa capital. E em 2016, um momento-chave, especial, quando vamos receber os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos. O Rio de Janeiro vive um momento único e oferece muitas oportunidades de negócios – disse o governador.

Créditos ao Núcleod e Imprensa

0 comentários:

below feature ads

Conferência e eventos