Mancha na Lagoa é decorrente de lixo e lama trazidos pela chuva

Centro do Rio de Janeiro

A mancha que apareceu hoje (11/11) na Lagoa Rodrigo de Freitas é decorrente do lixo e lama trazidos pelo Rio dos Macacos que deságua no local. A constatação é do Instituto Estadual do Ambiente (Inea), órgão executivo da Secretaria Estadual do Ambiente,que inspecionou a área esta quinta-feira. A chuva, que atingiu a cidade durante a madrugada, carregou para o rio grande aporte de material sólido, que, por sua vez, acabou chegando à Lagoa através da comporta da Rua General Garzon, em frente ao clube Piraquê.
Para sanar o problema, que ocorre toda vez que chove muito, o Governo do Estado, em parceria com a Prefeitura do Rio formalizou, em 2009, o Projeto de revitalização ambiental “Lagoa Limpa”, idealizado pelo grupo EBX, do empresário Eike Batista. O projeto, em curso, prevê a dragagem do Canal do Piraquê e outros pontos críticos de assoreamento, revitalização do Rio dos Macacos e Cabeça, investigação e eliminação de ligações clandestinas na rede de drenagem pluvial, revisão do sistema de esgotamento sanitário entre outras ações.

As ações, em andamento, de acordo com a Cedae, são os seguintes:

- verificação das galerias de águas pluviais contribuintes para a Lagoa Rodrigo de Freitas, ao longo de toda a sua extensão, através de câmera implantada de robô comandado a distância, para detectar ligações irregulares de esgotos sanitários. Tal ação gera a retirada de aproximadamente 10 ligações por dia de esgoto

- execução de retirada de sólidos de diversas redes de esgotamento sanitário

- implantação de redes coletoras de esgoto

- implantação, na elevatória do Leblon, do Centro de Controle Operacional, que permitirá todo o controle e monitoramento de elevatórias.

Créditos à SEA

0 comentários:

below feature ads

Conferência e eventos