Macaco Muriqui pode ser mascote dos Jogos de 2016

O macaco Muriqui, maior primata das Américas e nativo da Mata Atlântica, especialmente do Rio de Janeiro, poderá ser um dos candidatos a mascote dos Jogos Olímpicos de 2016. A proposta dos técnicos do Instituto Estadual do Ambiente (Inea) foi aprovada pela secretária estadual do Ambiente, Marilene Ramos, para apresentação ao Comitê Rio 2016 quando for iniciado o processo de definição do mascote dos jogos.

Ameaçado de extinção, o Muriqui – seu nome, em tupi-guarani, significa “povo manso da floresta” – apresenta comportamento solidário. Vive em sociedade e trabalha harmoniosamente em equipe, características que reforçam sua identificação com o ideal olímpico.

Especialistas ressaltam, inclusive, que se trata de um animal com hábitos muito sociais, que adora abraçar intensamente, o que também está de acordo com a imagem hospitaleira do povo carioca. Além disso, possui grande importância ecológica por ser um dispersor de sementes na floresta.

O formato anatômico bonito e simpático também é um dos pontos fortes do Muriqui, que pode atingir, quando adulto, 1,5 metro e pesar 15 quilos. Ele já foi escolhido como símbolo da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica (RBMA) da Unesco, e do Parque Estadual do Desengano, o primeiro do estado, criado em 1970.

O Muriqui também deu nome ao projeto de conexão de fragmentos florestais entre os parques estaduais dos Três Picos e do Desengano. O Corredor Ecológico do Muriqui quer estimular a criação de unidades de conservação municipais e privadas no espaço entre os dois parques.

Créditos à SEA

0 comentários:

below feature ads

Conferência e eventos