Sábado terá ações pelo Dia Mundial de Limpeza

Por Ascom da Secretaria do Ambiente

Estudantes, ambientalistas, voluntários e catadores farão um grande mutirão de limpeza, principalmente dos rios, praias, lagoas e florestas. A mobilização - neste sábado (18/9), às 10h, na praia de Copacabana - vai marcar o Dia Mundial de Limpeza (Clean Up the World), que acontece simultaneamente em 125 países.

Copacabana

A secretária do Ambiente, Marilene Ramos, e o presidente do Inea (Instituto Estadual do Ambiente), Luiz Firmino, participam do evento, que tem como meta coletar lixo e conscientizar a população sobre a importância de não jogá-lo na natureza.

Marilene participa, ainda, de um mutirão de limpeza no Rio das Pedras, em Rocha Miranda, na Zona Norte do Rio, onde a ação de limpeza será feita por cooperativas de catadores e equipes de educação ambiental da Secretaria do Ambiente e do Inea. Eles promoverão atividades educativas com moradores e estudantes da rede pública.

Uma unidade móvel ajudará as equipes da Secretaria do Ambiente e do Inea, que apresentarão à população vídeo com tema ecológico. Também haverá distribuição de folhetos educativos, alertando a população de que o descarte de lixo nos rios pode agravar as enchentes. As ações serão no Rio das Pedras, na Rua Ametista, entre as ruas do Diamante e dos Rubis. O Rio das Pedras desemboca no Rio Acari, que por sua vez deságua na Baía de Guanabara.

O Clean Up the World se estenderá por toda a orla de Copacabana. O evento é uma iniciativa do Instituto Aqualung, em parceria com o Governo do Estado e Prefeitura do Rio, além de representantes da sociedade civil. A ação também vai abranger as praias Vermelha, de Botafogo, Ipanema, Leblon, São Conrado, Barra da Tijuca, Grumari, Sepetiba, Ilha de Paquetá, além de praias de Niterói e da Região dos Lagos (Cabo Frio e Saquarema). O Clean Up the World também será realizado no Lago Paranoá, em Brasília; praia dos Namorados, em São Paulo; no Espírito Santo e em Santa Catarina.

O movimento que simboliza a união global em prol de um mundo mais limpo teve início na Austrália e começou a ser promovido no Rio em 2003, com as campanhas de limpeza das praias, realizada pelos institutos Aqualung e Lagoa Viva, em Copacabana, e na Barra da Tijuca, em parceria com o Governo do Estado.

Quase 2/3 de todo o lixo encontrado pelos voluntários é algum tipo de detrito não degradável a curto prazo. São canudinhos, pontas de cigarro, tampinhas, cotonetes, sacos plásticos, chinelos. Deixados na areia, eles representam para a fauna marinha o maior percentual de materiais ambientalmente perigosos.

Peixes, aves, foca, tartarugas e golfinhos podem confundir os detritos que ficam boiando no mar com lulas e outros alimentos que formam parte de sua dieta. A ponta de cigarro, item mais coletado no mundo por oito anos consecutivos, tem ocasionado a morte de inúmeros animais que a confundem com ovas de peixe e a engolem. Os dados são do Instituto Aqualung.

Serviço

Dia Mundial de Limpeza

Sábado (18/9), às 10h

Ponto de encontro das ações:

Avenida Atlântica, esquina com a Rua Santa Clara, em frente ao Hotel Marriott, em Copacabana.

Depois de Copacabana, a secretária participa da ação de limpeza no Rio das Pedras, em Rocha Miranda. O ponto de encontro é na Rua Ametista, entre as ruas do Diamante e dos Rubis.

0 comentários:

below feature ads

Conferência e eventos