Primeiro navio construído no Rio para o Promef vai ao mar amanhã

O estaleiro Mauá lança ao mar nesta quinta o primeiro navio construído no Estado do Rio de Janeiro para o Programa de Modernização e Expansão da Frota (Promef) da Transpetro. A embarcação, que receberá o nome de Celso Furtado, demandou investimentos da ordem de US$ 71 milhões, irá operar na área de transporte de derivados claros de petróleo, com capacidade para 48,3 mil toneladas de porte bruto e 183 metros de comprimento.

Na ocasião, também ocorrerá o batimento de quilha do segundo dos quatro navios de produtos que foram encomendados ao estaleiro. Com isso, o Estado do Rio continua sendo o maior pólo de construção naval do país. Já conta com 16 navios encomendados pelo Promef, totalizando investimentos de R$ 2,2 bilhões. O programa visa a criar, pelo menos, 650 mil empregos no estado, sendo 10 mil diretos e 40 mil indiretos. O navio será entregue a Petrobras no dia 15 de dezembro.

O estaleiro Mauá, que irá construir quatro navios de produtos do Promef, totalizando investimento de US$ 284 milhões, está localizado na Ponta d"Areia, em Niterói.

- Este lançamento tem significado histórico muito grande, já que foi ali mesmo na Ponta d"Areia onde a tradição brasileira de construir navios começou - ressaltou Sérgio Machado, presidente da Transpetro.

A embarcação é o primeiro encomendado a um estaleiro fluminense pelo Sistema Petrobras 13 anos após a última entrega. O último havia sido o Livramento, finalizado em 1997 pelo estaleiro Eisa, que levou 10 anos para ser concluído, em meio a uma grave crise do setor. A indústria naval brasileira, que havia sido a segunda maior fabricante mundial nos anos 70, praticamente desapareceu a partir dos anos 80.

Sérgio Machado disse ainda que, com a encomenda de 49 navios do Promef, um dos principais projetos do Programa de aceleração do Crescimento (PAC), os estaleiros foram modernizados e surgiram novas unidades de produção, como o estaleiro Atlântico Sul, em Pernambuco.

O presidente da Transpetro, Sérgio Machado, disse ontem que a estatal receberá, até o próximo dia 30, as propostas para a instalação de um estaleiro na Bacia do Tietê. A licitação consta com 20 empresas brasileiras e 10 estrangeiras. O vencedor da licitação, caso não haja nenhum contratempo, segundo ele, será anunciado em agosto.

- Esse programa foi lançado em março. O Brasil tem 40 quilômetros de rede. E temos que gerar logística. O etanol transportado por rodovias encarece muito o produto. Então, por hidrovia, na ida transportamos produtos claros (petróleo), na volta podemos trazer etanol. Um comboio é formado por um empurrador e quatro barcaça e substitui 180 caminhões. Pela hidrovia, esse comboio substitui 40 mil viagem de caminhões/ano, consome cinco vezes menos, polui 3 vezes menos e o custo é duas vezes menor.

Quanto à instalação do estaleiro Promar, no Estado do Ceará, Sérgio Machado disse que deu prazo até o dia 30 para que o Promar apresente um local para a instalação do empreendimento com as respectivas licenças de instalação e de meio ambiente.

- O presidente Lula pediu que fosse feito um estudo para a instalação do estaleiro. Há vários estados interessados do Nordeste (3), Sul (1) e Sudeste (1).

Créditos à Monitor Mercantil Online

0 comentários:

below feature ads

Conferência e eventos