Ciclovia na Niemeyer ligará Leblon a São Conrado



Palco do primeiro circuito brasileiro de automobilismo e localizada em uma das mais belas paisagens do Rio, entre o Morro Dois Irmãos e o Oceano Atlântico, a Avenida Niemeyer vai ganhar uma ciclovia. A pista de 3.900 metros de extensão será erguida sobre o costão de pedra e ligará os bairros de São Conrado e Leblon, fechando, junto com a futura ciclovia do Joá, o cinturão cicloviário da cidade, desde a Prainha, no Recreio, até o Aeroporto Santos Dumont, no Centro.

Embora sem data para começar, a previsão da Secretaria municipal de Obras é que a obra dure 15 meses. A licitação deve acontecer em março.

— Teremos, assim, a integração da malha cicloviária entre as zonas Sul e Oeste — explica o secretário Alexandre Pinto.

Segundo ele, a intenção é realizar ao mesmo tempo a duplicação do Elevado do Joá, que ganhará uma ciclovia e uma terceira faixa de rolamento na pista superior. Na Niemeyer, a ciclovia terá 2,5 metros de largura.

— Ela será construída sobre um sistema de vigas no costão, para evitar o estreitamento das pistas da Niemeyer, que é uma ligação importante e tem trânsito muito intenso — diz Pinto.

O projeto foi realizado pela Geo-Rio e consiste na implantação de estruturas de concreto ancoradas, divididas em quatro seções. Na primeira seção, na vertente de São Conrado, a ciclovia ficará instalada sobre a estrutura de tubos metálicos da Cedae e apoiada em pilares de concreto armado, ancorados na rocha.

Na segunda seção, em área próxima à passarela do Morro do Vidigal, a intervenção contará com uma estrutura de concreto armado para alargamento da passarela e implantação da ciclovia. Já na terceira seção, ainda perto do principal acesso à comunidade, a intervenção se restringe à construção do piso e à implantação de sinalização horizontal. Na quarta e última seção, junto ao Hotel Sheraton, onde existe uma estrutura metálica para circulação de pedestres, a ciclovia será construída em concreto armado, substituindo a estrutura metálica. Hoje, ciclistas do Vidigal dividem o pequeno espaço com pedestres ou se aventuram em meio ao trânsito pesado da Niemeyer.

— Há anos a gente ouve falar que vão construir uma ciclovia aqui. É mais do que necessário. De bicicleta, a gente chega ao Leblon em cinco minutos. A pé ou de ônibus demora muito mais — afirmou o surfista Felipe Oliveira.

Acostumada a pedalar do Humaitá a Ipanema para ir à praia, a enfermeira Fátima Morgado comemorou a novidade: — A cidade merece. Será um passeio lindo atravessar São Conrado pelo costão.

Créditos ao O Globo

0 comentários:

below feature ads

Conferência e eventos