Pela 1ª vez, Rio bate SP em criação de emprego formal

Centro Financeiro do Rio de Janeiro

O comércio gerou 131,33 mil empregos formais em novembro deste ano, o que representa novo recorde histórico para todos os meses, informou nesta quinta-feira (16) o Ministério do Trabalho, com base em dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). A série histórica do Caged tem início em 1992.

"Isso é uma demonstração do maior poder aquisitivo no mercado interno. Muita gente começou a ganhar melhor salário, e os importados caíram de preço. Com isso, o comércio acaba concentrando mais emprego, porque mostra que o mercado interno está mais aquecido. Se deve ao crescimento do emprego e da renda, ao bom momento da economia, e também pelo pagamento do 13º salário. Tem todo ano, mas está sendo maior. Então, as pessoas estão tendo possibilidade de comrpar um pouco mais", disse o ministro do Trabalho, Carlos Lupi.

No mês, foram criadas, ao todo, 138.247 vagas com carteira assinada. O valor está longe do recorde histórico para este mês, registrado em novembro do ano passado (246.695). Também está bem abaixo da estimativa divulgada por Lupi no mês passado: na ocasião, ele informou que a criação de empregos formais deveria ficar acima de 200 mil.

Serviços, indústria e agropecuária
O setor de serviços também mostrou desempenho positivo em novembro, com a abertura de 79,17 mil vagas formais. Ao mesmo tempo, porém, a indústria de transformação registrou o fechamento de 9,19 mil vagas de emprego com carteira assinada, enquanto que o setor agropecuário apresentou forte volume de demissões (-57,78 mil empregos fechados), e a construção civil fechou 7,85 mil postos de trabalho com carteira assinada. O Ministério do Trabalho informou que estes três setores (indústria, agropecuária e construção civil) demitiram em novembro por conta de fatores sazonais, ou seja, relacionadas com a época do ano.

Regiões e estados
O ministro do Trabalho, Carlos Lupi, informou ainda que o estado do Rio de Janeiro, com a criação de 31,96 mil vagas formais de emprego, bateu recorde histórico para todos os meses desde o início da pesquisa e, pela primeira vez, superou o estado de São Paulo, que abriu somente 4,99 mil postos de trabalho no mês passado.

"É o melhor resultado da história do Rio de Janeiro. Com a pacificação que está conseguindo, e a ação social do governo, está fazendo a população ir mais às ruas e aos restaurantes. As pessoas estão se sentindo mais seguras", avaliou o ministro Lupi. Segundo ele, o bom desempenho do estado na criação de empregos formais está relacionado com o comércio, e com os serviços (hotelaria, restaurantes).

Ao todo, a região Sudeste criou 52,11 mil empregos formais em novembro deste ano, seguida pela região Sul (44,74 mil postos criados), pela região Nordeste (37,17 mil vagas formais). Na região Norte, houve a abertura de 5 mil vagas no mês passado, e, na região Centro-Oeste, foram fechados 821 postos de trabalho.

Créditos ao G1

0 comentários:

below feature ads

Conferência e eventos