Força tarefa estoura fábrica de palmitos em Angra

Um fábrica clandestina de palmito foi estourada neste sábado (06/11), no município de Angra dos Reis pela força-tarefa deflagrada, na última sexta-feira, pela Secretaria Estadual do Ambiente. Com o objetivo de combater crimes ambientais no Sul Fluminense, a equipe, coordenada pela Cicca (Coordenadoria Integrada de Combate aos Crimes Ambientais), da SEA, tem o apoio do Batalhão Florestal, de técnicos do Inea (Instituto Estadual do Ambiente), do IBAMA e do Grupamento Aero marítimo (GAM) da Polícia Militar. Duas pessoas foram presas.

A empresa estourada pela polícia, fabricava e comercializada palmitos do tipo “Jussara”, espécie da Mata Atlântica que não pode ser extraído, nem comercializado, pois configuram crimes ambientais. O proprietário da fábrica, Roberto Duarte e o caseiro do sítio onde os palmitos, recém extraídos, eram armazenados, Abdias Jesus dos Santos, foram conduzidos à Polícia Federal de Angra dos Reis para prestar esclarecimentos. Eles poderão ser indiciados por crime ambiental. No local, foram apreendidos pelo menos duas toneladas de palmitos, impróprios inclusive para o consumo.

Extraídos e comercializados sem as mínimas condições de higiene, os palmitos se consumidos podem oferecer riscos à saúde do consumidor. Isso porque o produto era condicionado sem os devidos cuidados com a higiene e em recipientes que deveriam ser esterilizados antes de armazenarem os palmitos.

- Esta operação será realizada por tempo indeterminado na região Sul do Estado. Além desta fábrica, notificamos os proprietários de várias construções em áreas protegidas o que também configuram crime ambiental – disse o chefe da Cicca, José Maurício Padrone.

Com auxílio de lanchas e de um helicóptero da PM, o grupo vai atuar na repressão a crimes ambientais, sobretudo no combate às construções irregulares em áreas protegidas, um dos mais graves problemas ambientais da região Sul do Estado. De acordo Padrone, algumas dessas construções serão demolidas, tanto em Angra como em Paraty

Créditos à SEA

0 comentários:

below feature ads

Conferência e eventos