Com novo acesso ao Porto, veículos serão proibidos em trecho no Caju

Créditos ao O Globo online

Os caminhões e as carretas que têm como destino a Zona Portuária deixarão de trafegar no trecho da Avenida Brasil entre o Caju e a Rodoviária Novo Rio. O prefeito Eduardo Paes vai proibir a entrada no Porto por outra via que não seja o novo acesso, com mão e contramão, assim que ele for inaugurado, no fim de outubro. Apesar de a alça ainda estar sendo concluída, alguns veículos pesados já estão utilizando a pista para chegar aos terminais de contêineres, cargas soltas e automóveis. A obra do acesso, de três quilômetros de extensão, começou em junho do ano passado, ao custo de R$ 24 milhões, e é a primeira do projeto Porto Maravilha que será entregue pela prefeitura.

A mudança significará 1.300 veículos pesados a menos por dia no início da Avenida Brasil. Segundo a CET-Rio, diariamente 650 caminhões e carretas entram e 650 saem dos terminais do Caju. O horário de concentração é entre 9h e 10h, quando a CET-Rio estima que cerca de 150 desses veículos transitem pelo trecho da Avenida Brasil entre o Caju e a rodoviária.

- Há um congestionamento grande nesse trecho da Avenida Brasil. - lembra Paes. - Além de retirarmos os veículos pesados dali, iniciamos obras visando a melhorar a logística dessa área.

De acordo com o secretário municipal de Obras, Alexandre Pinto, para a conclusão do novo acesso ao Porto, falta implantar cem metros de pista, nas imediações da Rua Carlos Seixas:

- Chamamos essa área final de praça de guerra. Isso porque pela Carlos Seixas passam os caminhões da Comlurb que vão para a estação de transferência do Caju. Ali, o tráfego é muito pesado - explica o secretário.

Veículos chegarão a 3 terminais portuários

O futuro acesso ao Porto se encontra com a Avenida Brasil (pista sentido Zona Oeste) pouco depois da passarela 5. Foi construída uma alça - com duas pontes sobre rios -, que passa em frente à Estação de Tratamento de Esgoto de Alegria e à Favela Parque Alegria, e sob a Linha Vermelha. A nova pista se encontra com a Carlos Seixas. Os veículos devem seguir pelas ruas Carlos Seidl e General Sampaio, para alcançar o portão 32 da Docas e ter acesso a três terminais portuários.

Para chegar à via, os veículos procedentes da Zona Oeste devem pegar a pista lateral da Avenida Brasil e seguir as placas na direção do Viaduto de Benfica.

- O novo acesso ao Porto já vai significar grandes melhorias. Mas é preciso melhorar mais. As ruas que conduzem ao Viaduto de Benfica têm curvas muito acentuadas, que precisa ser melhoradas. Nas curvas, o pneu do caminhão provoca sulcos no pavimento - diz o presidente da Federação dos Transportadores Rodoviários de Carga, Eduardo Rebuzzi.

O secretário de Obras garante que as melhorias nas ruas de acesso ao Viaduto de Benfica estão programadas. A construção de uma rotatória e a instalação de um sinal luminoso, na junção do novo acesso com a Avenida Brasil, também estão nos planos imediatos da prefeitura. Outro pedido de Rebuzzi - a implantação de um muro junto aos trechos em que a via passa junto a comunidades - está sendo estudado, informa Alexandre Pinto.

Estão em andamento R$ 139,6 milhões em obras do Porto Maravilha. A Praça Mauá (que terá garagem subterrânea para 700 carros) e nove vias (como avenidas Rodrigues Alves e Venezuela) estão sendo reurbanizadas e recebendo nova rede de drenagem. Também estão em curso obras de reurbanização e recuperação de casas antigas no Morro da Conceição.

A primeira etapa do Porto Maravilha soma R$ 392 milhões em recursos da prefeitura, do estado, da União e da iniciativa privada. A criação da Pinacoteca do Rio e do Museu do Amanhã estão entre as obras a serem realizadas.

0 comentários:

below feature ads

Conferência e eventos